Espinhas na gravidez: Por que aparecem?


Sim, as espinhas podem aparecer durante a gravidez, mas não será uma realidade para todas as gestantes. A acne, principalmente na forma de espinhas no rosto, mas que também pode surgir em outras partes do corpo como seios, ombros e costas, é uma das mudanças que sua pele pode sofrer durante a gestação.

Por que as espinhas aparecem na gravidez?

Que surjam espinhas durante a gravidez é algo muito comum por uma causa concreta: O aumento dos níveis do hormônio estrogênio, que tem como consequência o incremento da produção de uma substância rica em lipídios conhecida como sebo, o que aumenta a oleosidade e pode produzir a acne.

Este incremento da produção das glândulas sebáceas é influenciado pelo aumento do volume de sangue que acontece durante a gravidez para permitir a chegada de uma quantidade extra de sangue ao útero para satisfazer as necessidades metabólicas do bebê.

Como consequência de uma circulação maior de sangue nos vasos sanguíneos das futuras mães, automaticamente o corpo aumenta as secreções que em excesso podem desencadear o crescimento das espinhas.

Existem outros fatores secundários a este fenômeno, como por exemplo o acúmulo de células mortas na pele ou o estresse, que também podem favorecer ou intensificar o surgimento de espinhas. Por outro lado, se durante os períodos menstruais você costumava ter um aumento da acne, provavelmente terá uma maior predisposição a ter este problema durante a gestação.

Outras mudanças de pele que a gravidez provoca

A aparição de espinhas é uma das mudanças provocadas pelos hormônios da gravidez que podem afetar a pele das mulheres. Com o crescimento do bebê, a pele vai esticar, o que será outra prova de resistência e elasticidade que muitas vezes você irá sentir e terá que cuidar com carinho.

Entre as mudanças na pele mais frequentes, listamos algumas, que nem sempre vão afetar todas as gestantes:

  • Manchas escuras na pele, conhecidas como melasma;
  • Escurecimento da pele dos mamilos, genital e anus (hiperpigmentação);
  • Linha nigra, que é uma mancha escura em forma de linha vertical que aparece na barriga ao longo do segundo trimestre de gravidez;
  • Sardas ou pintas existentes podem escurecer mais ou inclusive crescerem;
  • Ressecamento de pele e coceira.

Conselhos para reduzir as espinhas durante a gravidez

Apesar de que não existem tratamentos rápidos e eficazes contra a acne, alguns conselhos podem ajudar a prevenir a oleosidade e reduzir os seus efeitos:

  • Manter a hidratação. Não apenas hidratar a pele, mas hidratar-se, bebendo muita água;
  • Lavar a zona afetada suavemente com sabonete neutro e secar com uma toalha limpa e suave;
  • Não lavar continuamente a pele para evitar que ao remover a oleosidade natural, acabe provocando que o corpo produza uma maior quantidade da mesma para compensar;
  • De preferência, não use maquiagem e quando utilizar, remova bem antes de dormir;
  • Umedeça a pele com produtos que não contenham óleos;
  • Não esprema as espinhas, nem coloque a mão com frequência no rosto, já que isso pode piorar a situação ou deixar cicatrizes permanentes;
  • Se tiver muita acne, consulte seu obstetra ou dermatologista para indicações personalizadas.

Boas notícias: as espinhas da gravidez somem

Apesar do incômodo que provoca, você não precisa se preocupar muito com as espinhas na gravidez, pois elas somem. Este problema é passageiro e irá desaparecer ou estabilizar após o parto, assim como as manchas de pele que aparecerem no período gestacional.

Outra boa notícia é que a gravidez também tem seus efeitos positivos para a pele. Graças ao aumento da irrigação sanguínea, o rosto fica com uma aparência mais saudável para muitas mulheres, com um aumento da firmeza e aquela beleza especial que muitos percebem nas gestantes.

 

Geneticista Cristina Carvalho

Dra Cristina Carvalho é biomédica e geneticista


Quem leu este post também se interessou por:

Contato