fbpx

Melhores posições sexuais durante gravidez

28 February, 2017 ,
sexo durante a gravidez - nace

Para manter a vida sexual durante a gestação é importante adaptar-se às condições do corpo e também estar segura de que fazer amor não está afetando de forma negativa o seu bebê.

Em primeiro lugar é importante esclarecer que as relações sexuais durante a gravidez não prejudicam a gestação, muito pelo contrário, será benéfico para o bebê porque relaxa o corpo e gera bom humor. Outra informação que você vai gostar de saber é que pelo aumento do fluxo sanguíneo durante a gestação, a capacidade de sentir orgasmo pode aumentar.

Posições sexuais durante o primeiro trimestre da gestação

Na primeira fase da gestação, devido a barriga ainda continuar pequena, a mulher não costuma sentir incômodo na hora de fazer amor, pois continua com sua flexibilidade e mobilidade de sempre. No entanto, alguns sintomas da gravidez como enjoo e sensibilidade nos seios podem acabar reduzindo a disposição.

Durante o primeiro trimestre é possível que a libido aumente, razão pela qual pode ser o período onde o sexo gere ainda mais prazer e atingir o orgasmo seja mais fácil. Portanto, a não ser que por restrições médicas você tenha sido indicada a não fazer amor, você poderá praticar qualquer postura sexual.

Entre as posturas mais confortáveis e prazerosas está a do “cachorrinho”, onde a mulher fica ajoelhada e o homem penetra por trás. Outra posição cômoda no primeiro trimestre é uma adaptação da postura conhecida como “papai e mamãe”, no entanto a partir do quarto mês de gravidez é preferível não praticar esta postura ou fazer uma adaptação para que o parceiro não pressione a barriga. Para evitar a pressão, uma dica é colocar um travesseiro para levantar um pouco mais o quadril e que o homem fique ajoelhado sobre suas próprias pernas, ao invés de deitar encima da mulher.

Posturas para o sexo durante o segundo trimestre

Ao longo do segundo trimestre de gravidez, a barriga já começa a ter um notável volume que irá dificultar a mobilidade e flexibilidade. Apesar disso, e sempre que não exista uma contraindicação médica, você poderá continuar mantendo relações sexuais normalmente, porém evitando posturas que exerçam pressão no abdômen, e claro, sempre que estiver confortável e disposta.

Estar por cima ou de lado serão as principais opções a partir de agora na hora de fazer amor. Estando por cima, existe a vantagem de você estar no comando sobre o ritmo, a profundidade da penetração e a intensidade, porém pode ser também que esta posição possa fazer com que você se canse mais rápido.

Sexo durante o terceiro trimestre da gestação

Na reta final da gravidez não se sinta culpada se você simplesmente não tiver vontade de fazer amor, isso é normal. O peso e o volume da barriga exigem de você um grande esforço, além disso é possível que você também esteja sentido dores nas costas.

Durante o terceiro trimestre da gravidez, a postura mais confortável será estar de lado, na posição conhecida como “concha”, onde a mulher e o homem estão de lado, sendo que o homem por trás. Nesta posição não há pressão no abdômen.

Com relação às posturas a evitar, é importante não praticar aquelas onde a mulher deita de barriga para cima, pois o peso do ventre, principalmente quando a data do parto está próxima, exerce uma pressão que dificulta a circulação do sangue.

Quando evitar fazer amor durante a gravidez?

Em algumas gestações com certos riscos, o ginecologista irá indicar não manter relações sexuais. Mesmo quando não exista uma contraindicação explícita, não faça amor caso esteja sentido dor. Não necessariamente porque esta dor seja um risco para a gravidez, mas principalmente porque fazer amor não têm sentido caso você não esteja sentindo prazer.

Caso sinta dores fortes ou sangramento, informe seu médico e suspenda as relações até que o médico seja consultado.

Gravidez tranquila e saudável com o teste NACE

Com o teste pré-natal não invasivo NACE você fica tranquila sobre a saúde do seu bebê a partir da décima semana de gestação sem colocar a gravidez em risco. A partir de uma amostra do sangue materno identificamos o DNA do feto e confirmamos sua saúde com relação a doenças cromossômicas como a Síndrome de Down, Síndrome de Edwards e Síndrome de Patau.

subir
Solicitação de Informações

Pin It on Pinterest