fbpx

NIPT pode ser feito após Fertilização in Vitro (FIV)?

8 July, 2020 ,
NIPT após FIV

Famílias que precisam de ajuda da ciência e medicina para engravidar costumam viver uma longa e dura trajetória de obstáculos até conseguir o seu positivo de gravidez. Para estas futuras mães que conseguiram engravidar após FIV, cada semana de gestação muitas vezes é acompanhada pelo medo constante em relação à saúde do bebê.

O teste NACE (NIPT) a partir da 10ª semana de gestação pode proporcionar mais tranquilidade em relação ao desenvolvimento normal do bebê. O NIPT pode ser feito após uma FIV (inclusive com óvulos doados) e apesar de sempre aportar benefícios, é especialmente indicado na situação que explicaremos para você nesse post.

O que é o NIPT?

O Teste Pré-natal Não Invasivo (NIPT), também conhecido como NACE, detecta o risco de alterações cromossômicas a partir do  DNA fetal livre  presente no sangue materno. Um teste genético realizado principalmente para rastrear síndromes genéticas como a Síndrome de Down, Edwards e Patau, além de alterações nos cromossomos sexuais, o que também revela o sexo fetal.

O NIPT é classificado como “não-invasivo” por ser realizado de forma segura sem procedimentos que podem colocar em risco a gravidez. Por ser o teste com maior confiabilidade (superior a 99%), o NACE tem sido a alternativa para prevenir exames diagnósticos invasivos como a amniocentese, que implica em um pequeno risco para a gestação.

No entanto, é importante reforçar que caso do NIPT apresentar um resultado positivo para alguma alteração cromossômica, é necessário realizar a amniocentese ou a biópsia de vilo corial para teste confirmatório do achado por técnicas de citogenética e/ou biologia molecular.

A FIV previne síndromes genéticas?

Apesar da FIV sozinha não prevenir síndromes genéticas, ao ser complementada com o Teste Genético Pré-Implantacional para Aneuploidias (PGT-A), pacientes e médicos têm acesso à análise de todos os cromossomos do embrião para identificar aquele cromossomicamente saudável para a transferência ao útero e, com isso ser capaz de reduzir o risco de aborto de primeiro trimestre, falhas de implantação e prevenir síndromes genéticas.

Fiz a FIV, devo realizar o NACE durante a gestação?

Realizar o NIPT/NACE após uma FIV onde não foi realizado o PGT-A é especialmente importante, principalmente se a idade materna for superior a 37 anos, o que significa um risco aumentado de produzir alterações cromossômicas.


Risco de Síndrome de Down por idade materna:

  • 20 anos: 1 em cada 1.480
  • 30 anos: 1 em cada 940
  • 35 anos: 1 em cada 353
  • 40 anos: 1 em cada 85
  • 45 anos: 1 em cada 35

Quando  um embrião cromossomicamente saudável (euploide) identificado através do PGT-A for transferido ao útero materno, o risco de encontrar alterações cromossômicas no feto é rara, porém não é nula.

Nesse sentido, o teste NACE pode aportar ainda mais segurança para a gestante e complementar o exame morfológico de gravidez com uma maior capacidade de detectar síndromes genéticas.

 

Taccyanna AliTaccyanna Ali, MsC é assessora científica


Quem leu este post também se interessou por:

 

 

subir
Solicitação de Informações

Pin It on Pinterest