fbpx

Chances de engravidar na primeira tentativa do tratamento de fertilidade

14 October, 2019
chances de gravidez na primeira tentativa

Uma das perguntas que fazem as mulheres em sua primeira consulta com o especialista em reprodução assistida é: qual é a probabilidade de gravidez na primeira tentantiva?

Não existe um dado concreto, já que depende de muitos fatores, como características particulares de cada mulher, do homem e o tratamento de fertilidade ao qual se vá submeter. Estes tratamentos podem se agrupar em dois tipos: inseminação artificial (IIU) e fertilização in vitro (FIV).

O que é a Inseminação Artificial?

A IIU é a técnica de reprodução assistida mais simples de todas. Em primeiro lugar, trata-se o sêmen do pai ou doador no laboratório para aumentar a sua capacidade de fecundar. O ginecologista especialista em reprodução humana realiza um estudo médico na mulher e juntos decidem se é preciso realizar um tratamento de estimulação ovariana leve ou não. Depois disso, é introduzida a amostra de sêmen no útero da mulher nos dias férteis. Deste modo, reduz-se a distância que os espermatozoides têm que percorrer até chegar ao óvulo, facilitando a possibilidade de conseguir a gravidez.

A Inseminação artificial é indicada para pacientes com menos de 35 anos.

O que é a Fertilização in vitro?

Neste caso, além de realizar o mesmo tratamento ao sêmen, a estimulação ovariana é necessária para aumentar a probabilidade de conseguir mais embriões. Quando o óvulo está maduro realiza-se a punção ovárica, que consiste na extração dos óvulos. Também existe a possibilidade de que os óvulos provenham de ovodoação.

Em qualquer um dos dois casos, os óvulos são tratados no laboratório para serem fecundados. Existem dois métodos para fecundar os óvulos: a FIV tradicional e a ICSI (Injeção Intracitoplasmática de espermatozoides). Se forem obtidos embriões de boa qualidade, transferem-se ao útero materno. A quantidade de embriões a serem transferidos depende da idade materna e estratégia de tratamento. Tende-se a transferir apenas um embrião por ciclo para evitar gravidez múltipla.

Probabilidade de gravidez de primeira mediante reprodução assistida

Os últimos dados oficiais sobre taxas de sucesso nos tratamentos de reprodução assistida são do ano 2015 e pertencem a um estudo realizado pelo Sociedade Espanhola de Fertilidade. Deste amplíssimo estudo, resgatamos a informação sobre as porcentagens de sucesso por transferência nos distintos tratamentos e as suas variantes, tendo em conta a idade da mulher.

É importante lembrar que as porcentagens apresentadas a seguir são estimativas gerais e que cada caso em particular pode apresentar diferentes chances de sucesso.

Taxas de sucesso em uma FIV

Porcentagem de gravidez por transferência mediante FIV clássica com óvulos próprios:

  • Menor de 35 anos: 46,5%
  • De 35 a 39 anos: 37,1%
  • Mais de 40 anos: 22,4%

Porcentagem de gravidez por transferência mediante ICSI ou mista com óvulos próprios:

  • Menor de 35 anos: 44%
  • De 35 a 39 anos: 36,1%
  • Mais de 40 anos: 22,9%

Porcentagem de gravidez por transferência por FIV clássica + ICSI ou mista com óvulos próprios:

  • Menor de 35 anos: 44,3%
  • De 35 a 39 anos: 36,3%
  • Mais de 40 anos: 22,8%

Porcentagem de gravidez por transferência com embriões congelados:

  • Menor de 35 anos: 39,9%
  • De 35 a 39 anos: 35,4%
  • Mais de 40 anos: 27,8%

Porcentagem de gravidez por transferência com óvulos de doadora:

  • Menor de 35 anos: 58,1%
  • De 35 a 39 anos: 55,5%
  • Mais de 40 anos: 53,9%

Porcentagem de gravidez por transferência com embriões congelados com óvulos de doadora:

  • Menor de 35 anos: 42%
  • De 35 a 39 anos: 40,8%
  • Mais de 40 anos: 49,5%

Taxas de sucesso em uma Inseminação Artificial

Porcentagem de gravidez com sêmen de parceiro:

  • Menor de 35 anos: 13,18%
  • De 35 a 39 anos: 13,3%
  • Mais de 40 anos: 10,3%

Porcentagem de gravidez com sêmen de doador:

  • Menor de 35 anos: 24,9%
  • De 35 a 39 anos: 19,9%
  • Mais de 40 anos: 10,5%

Fatores que diminuem as chances de engravidar

Deve se levar em conta que existem fatores que diminuem a probabilidade de obter a gravidez. Os mais destacáveis são:

  • Idade da mulher. A partir dos 32 anos começa a diminuir a sua capacidade reprodutiva, a partir dos 37 anos se acelera este decréscimo e superados os 40 anos é difícil obter a gravidez de maneira natural.
  • Estilo de vida. O consumo de álcool e tabaco de maneira frequente afeta à ovulação, diminui o muco cervical e, por isso, reduz as possibilidades de gravidez. O sobrepeso ou, pelo contrário, ter baixo peso também influi na fertilidade.
  • Doenças e transtornos. Alguns problemas de saúde podem influir negativamente na fertilidade, tais como a endometriose, a síndrome de ovários policísticos, fibromas uterinos, falência ovariana prematura, transtornos autoimunes, infecções, entre outros.
  • Problemas na menstruação. Transtornos como a falta de ovulação ou a dismenorreia podem ser causa de infertilidade.

Não se esqueça que, em muitas ocasiões, os problemas para conceber em um casal são do homem. Na fertilidade masculina, também influi o consumo de álcool, o tabagismo, a idade, etc.

Fatores que aumentam a probabilidade de engravidar antes

Quando mais completo for o diagnóstico e mais preparo exista antes de iniciar o tratamento, maior a probabilidade de conseguir aumentar as chances de sucesso no primeiro ciclo. Alguns recursos da genética têm ajudado neste sentido, por exemplo, a partir do estudo genético do embrião PGT-A é possível identificar o embrião cromossomicamente normal e com isso reduzir o risco de aborto e aumentar a probabilidade de gravidez por ciclo. Outro recurso é personalizar a partir da realização do teste ERA o momento de transferência do embrião de acordo com o melhor momento do útero para assim ajudar na implantação.

Dra Cristina CarvalhoDra Cristina Carvalho é biomédica e geneticista


Quem leu este post também se interessou por:

 

subir

Pin It on Pinterest