fbpx

Idade ideal para engravidar existe?

1 August, 2019
idade ideal para engravidar

Não dá para negar que as mulheres têm postergado o sonho da maternidade. Existem vários motivos para isso e com certeza a longevidade e a boa saúde que temos aos 40 hoje em dia é um dos motivos, que associado a que com a maturidade podemos encarar a gravidez com certa estabilidade, ajuda muito para que a cada dia as mulheres engravidem mais tarde.

Aos 20 temos tantas coisas para realizar e nos sentimos tão jovens que a responsabilidade de gerar e cuidar de uma nova vida com certeza é mais difícil do ponto de vista emocional e até financeiro, que quando já alcançamos ao menos parte de nossos projetos de vida antes de engravidar.

Será que existe uma idade ideal para engravidar?

Para a medicina sim, existe uma idade ideal e essa idade é 20 anos, especificamente entre 20 e 30 anos. Outra coisa é a idade ideal do ponto de vista prático e emocional, que não é o que estou falando agora e que pode ser muito diferente dependendo de cada pessoa.

A propensão do corpo da mulher para ter complicações durante a gravidez é menor nesta fase da nossa vida. Aos 20, vários riscos são menores:

  • Diabetes Gestacional
  • Pressão alta
  • Problemas cardiovasculares
  • Síndrome de Down
  • Aborto

Não significa que a mulher está livre de qualquer complicação aos 20 anos. Tudo que citei pode também acontecer em qualquer idade, mas as chances são menores na idade ideal do nosso corpo.

Mulheres muito jovens, por exemplo aos 15 anos, também possuem um risco mais elevado de complicações durante a gravidez, porque o corpo ainda não está totalmente preparado para a gestação.

Por outro lado, após os 35, especialmente após os 38-40 anos as chances das complicações gestacionais se elevam novamente e não é só isso, nessa idade, considerada idade materna avançada por especialistas em reprodução humana, a fertilidade também se reduz e as chances de engravidar diminuem com ela.

Por exemplo, para uma mulher de 20 anos, as chances de conseguir engravidar no primeiro ano de tentativa chega a 90%. Aos 40, as chances de engravidar no primeiro ano é de apenas 8%. Por esta razão, as mulheres acima dos 35 anos devem consultar um médico especialista em fertilidade após 6 meses de tentativas para confirmar se está tudo bem e não perder tempo, caso precise de algum tratamento.

Soluções da ciência para engravidar

Hoje em dia existem sim algumas alternativas tanto para reduzir o risco de infertilidade, com o congelamento de óvulos, quanto para superar a infertilidade, com a fertilização in vitro. Ambas técnicas são possibilidades, não garantem a gravidez, mas quanto antes realizadas, mais chances de sucesso apresentam.

Com o congelamento de óvulo existe a possibilidade de ter um bebê inclusive depois da menopausa. O importante é fazer esse congelamento antes dos 35; aos 30 anos seria uma idade ótima.

Uma mulher que entrou na menopausa, caso não tenha congelado óvulos, ainda tem chances de engravidar utilizando óvulos doados em um tratamento chamado ovodoação.

Chances do bebê ter Síndromes Genéticas       

Outro risco que aumenta muito com a idade materna são as alterações cromossômicas, a mais famosa é a Síndrome de Down, mas também existe Síndrome de Edwards, Síndrome de Patau, entre outras alterações. Falando sobre o risco de Síndrome de Down por idade materna, os dados da ACOG (Colégio Americano de Obstetras e Ginecologista) são:

 

  • 1 em cada 1.480 aos 20 anos
  • 1 em cada 940 aos 30 anos
  • 1 em cada 353 aos 35 aos
  • 1 em cada 85 aos 40 aos
  • 1 em cada 35 aos 45 anos

 

Como você pode perceber, com o aumento da idade a elevação do risco de alterações genéticas cresce em alta velocidade. Além disso, as alterações cromossômicas também são as principais responsáveis pelos abortos de primeiro trimestre (50%), por isso, com o aumento da idade da mãe, o risco de perder o bebê também é maior.

O que fazer para descobrir se o bebê está livre de síndromes genéticas?

O teste NACE é um teste pré-natal não invasivo que pode ser realizado a partir da décima semana de gestação para confirmar que o bebê está livre da Síndrome de Down e outras principais alterações cromossômicas. Este teste também dá a sexagem fetal.

A vantagem, além da tranquilidade, é que este teste não gera riscos para a gravidez e para o bebê, como é o caso da Amniocentese.

É possível reduzir o risco de síndromes genéticas antes da gravidez?

Em uma gravidez natural não é possível, somente com um tratamento de FIV com uma análise genética do embrião antes da implantação podemos saber se o embrião tem alguma alteração cromossômica ou não.

O pré-natal de uma mulher de 40 anos é diferente?

A medicina evoluiu muito e isso permitiu que uma gravidez, mesmo aos 40 anos possa ser segura porque o médico pode fazer um acompanhamento personalizado para detectar rapidamente qualquer complicação, como um parto prematuro e uma diabetes gestacional, por exemplo.

No pré-natal de uma gravidez considerada de risco terá muito mais visitas ao obstetra e provavelmente exames em comparação com uma gravidez normal aos 20.

Tudo pode sair bem apesar da idade

É muito importante estar informada e tomar decisões conscientes. Aqui estamos falando de probabilidades e riscos. Se você está tentando engravidar aos 40, não significa que não há esperança e você tem que desistir, cada pessoa é única, existem fatores como estilo de vida, fatores genéticos, saúde do parceiro, por exemplo, que também vão influenciar para que no seu caso seja mais fácil ou mais difícil engravidar e gerar um bebê saudável.

Se você tiver condições de se preparar antes da gravidez, em qualquer idade, sempre é melhor!

 

Quer que eu te conte?

Monica Romeiro

 

Sou Monica Romeiro, mãe do Lucas e da Larissa. Amo compartilhar minhas experiências e passar informações corretas e seguras para as mulheres que sonham em engravidar, para gestantes e para mamães. Convido você a conhecer meu blog e canal no YouTube.

 

 

 


Quem leu este post também se interessou por:

subir

Pin It on Pinterest