fbpx

NACE é confiável para detectar síndromes na 10ª semana de gravidez?

Diagnóstico-precoce-para-o-seu-pré-natal

Todos nós sabemos que existem exames para checar o desenvolvimento do bebê ainda dentro da barriga. Isso é o que faz o famoso ultrassom, por exemplo. A modernização e inovação da tecnologia, que também atinge a medicina, ajudou a criar exames de pré-natal mais eficientes, como é o caso do NACE.

O NACE é feito com o exame do sangue da gestante a partir da 10ª semana, quando o DNA do bebê já pode ser encontrado na amostra de sangue da mãe. Assim, o teste não invasivo procura alterações bem específicas no material genético: as aneuploidias fetais.

Uma aneuploidia ocorre quando o bebê em formação tem um número de cromossomos diferente do que deveria. Um exemplo dessa alteração é a Síndrome de Down, na qual o indivíduo possui 3 cromossomos 21 ao invés de apenas 2.

 

Por que descobrir uma aneuploidia é importante?

Algumas das aneuploidias mais comuns são:

– Síndrome de Down;

– Síndrome de Edwards;

Síndrome de Patau.

Além disso, um bebê em formação pode apresentar microdeleções quando suas células perderam pequenas partes do material genético. Assim como as síndromes citadas acima, esse problema causa malformações de órgãos e atraso cognitivo.

Com essas informações os futuros pais e toda a família podem preparar a estrutura necessária para garantir o bem-estar do bebê. Além disso, terão mais tempo e tranquilidade para tirar todas as suas dúvidas com o médico e se educar sobre os estímulos e cuidados que a criança necessitará.

 

O resultado do NACE é confiável?

A taxa de detecção do NACE é de 99,92% para as principais síndromes citadas acima. Isso quer dizer que seu resultado é muito confiável e o número de falsos positivos é menor que 0,1%.

Em sua versão Plus, o teste ainda é capaz de detectar as 5 microdeleções mais comuns com taxas de falsos positivos que ficam entre 01% a 0,4%.

 

Testes não invasivos versus testes invasivos

Você também pode confiar na segurança à saúde do teste não invasivo. Como ele é feito a partir do sangue materno, a chance de causar um aborto espontâneo ou qualquer outro tipo de complicação na gravidez é reduzida a 0.

As outras opções para diagnosticar essas alterações no bebê, que são os exames invasivos como a Amniocentese e a Biópsia de Vilo Corial, causam um risco de aborto espontâneo entre 0,5% a 2%. Outros problemas que podem acorrer são infecções, perda do líquido amniótico e sangramentos.

Portanto, a grande vantagem do Teste Pré-Natal não Invasivo NACE é a capacidade de oferecer resultados precisos para os médicos, confiáveis para a família e sem nenhum risco para a gestante ou para o bebê.

subir

Pin It on Pinterest