fbpx

Como o NIPT garante uma gestação tranquila e segura

Você-sabe-o-que-NIPT?

Você já ouviu falar sobre o NIPT? As siglas vêm do inglês, Non-Invasive Prenatal Testing, conhecido como Teste Pré-natal Não Invasivo, o exame é feito durante o pré-natal para confirmar o diagnóstico ou descartar suspeitas de alguma alteração cromossômica no bebê em desenvolvimento, como a Síndrome de Down, por exemplo.

Esse exame foi desenvolvido graças a uma descoberta, na década de 90, quando os cientistas detectaram que o sangue do feto circula pelo sangue da mãe durante a gestação. A partir disto, inovações foram realizadas até que os pesquisadores criaram o NIPT: um exame rápido, que utiliza apenas o sangue materno para gerar um diagnóstico confiável.

 

Por que o NIPT é importante?

Durante o primeiro trimestre de gestação, a grávida passa por uma ecografia que mede uma área cheia de líquido no pescoço do feto. Conhecido como translucência nucal, este exame pode ter um resultado aumentado. Quando isso acontece há chances que o bebê apresente alguma alteração cromossômica, genética ou estrutural.

Nesses casos, a mulher é encaminhada para um exame mais específico, como a Amniocentese, que oferece risco de aborto espontâneo, sangramentos e várias outras complicações. Porém, muitas vezes, a alteração do exame da translucência não significa nenhuma alteração real, e a gravidez é colocada em risco sem real motivo.

Como o NIPT só demanda uma pequena amostra de sangue da gestante, ele é uma excelente opção para confirmar alguma alteração da ecografia.

Assim, os pais podem ter a tranquilidade de conhecer o real estado de saúde do filho, sem colocar em risco o bem-estar do feto ou da futura mamãe. Outro fator importante é descobrir o mais cedo possível, já que o exame não invasivo pode ser feito a partir da 10ª semana de gravidez.

 

Preciso realmente fazer o exame?

Por não oferecer nenhum risco à gestação, o Teste Pré-natal Não Invasivo pode ser feito em qualquer mulher. Contudo existem alguns fatores, além da alteração na translucência nucal, que tornam importante a realização do exame:

– Gestantes com mais de 35 anos;

– Resultado anormal na triagem de 1º trimestre;

– Mulheres que tiveram uma gestação anterior com alteração cromossômica.

Essas alterações cromossômicas resultam em doenças que causam malformações de órgãos e atraso intelectual, como a Síndrome de Down, Síndrome de Edwards e Síndrome Patau. Assim, a descoberta dessas mutações ainda durante o pré-natal é importante para que os pais se preparem para a chegada do bebê com mais confiança e informação.

 

 

Vantagens do NACE

 Diferente de um Teste Pré-natal Não Invasivo tradicional, o NACE – versão oferecida pela Igenomix – garante um resultado “positivo” ou “negativo” para as diversas mutações que analisa. As outras opções do mercado oferecem as chances em porcentagem de um feto possuir ou não uma síndrome – e isso acaba gerando insegurança para os futuros pais.

Além disso, cerca de 5% das gestantes precisam refazer o teste não invasivo, principalmente pela quantidade insuficiente de DNA fetal presente na amostra de sangue. Com o NACE essa porcentagem é de apenas 0,1%, garantindo, por isso, um diagnóstico mais rápido e confiável.

subir

Pin It on Pinterest