fbpx

NACE: Exame detecta com precisão e segurança a saúde do feto

Como-acompanhar-a-saúde-do-seu-bebê-sem-riscos

Ainda no primeiro trimestre de gravidez, a gestante passa por um ultrassom capaz de acompanhar o desenvolvimento do bebê mais de perto. Neste momento, o médico será capaz de saber se a mulher está esperando gêmeos, se a placenta está bem posicionada e se o bebê está saudável.

Algumas alterações podem chamar a atenção do obstetra, como a medida da cabeça do bebê (chamada de translucência nucal) estar acima da normalidade. Isso pode indicar um problema genético ou cromossômico, como a Síndrome de Down, e a gestante deverá fazer um teste específico, como o NACE, ainda durante o pré-natal.

 

Por que devo fazer o teste NACE?

Receber a notícia de uma possível alteração do feto durante a gestação é bastante difícil. Entretanto, o ultrassom pode não ter resultados precisos, pois as imagens são capturadas com barreiras de pele e placenta, dificultando o diagnóstico.

Graças aos avanços da medicina, o NACE surgiu trazendo uma precisão de 99%, evitando que a família receba um resultado falso-positivo e passe por preocupações desnecessárias, principalmente, nesta fase em que a mulher está muito sensível.

 

Posso confiar nos resultados?

Com apenas dez semanas de gravidez, a gestante já pode passar por uma simples coleta de sangue, capaz de fornecer o material genético do bebê que será analisado através do teste NACE. Este exame não traz riscos ao feto e garante que a taxa de detecção de doenças como Síndrome de Down, Edwards ou Patau sejam detectadas em 99,92% dos casos.

 

Como são os exames invasivos?

Além do Teste Pré-natal Não Invasivo, existem outros exames capazes de confirmar o resultado de um ultrassom com suspeita. Os principais e mais conhecidos são a Amniocentese e a Biópsia de Vilo Corial.

A tendência é que esses exames sejam cada vez menos utilizados já que, apesar de serem extremamente precisos, eles oferecem riscos ao bebê e a gravidez. Os principais problemas que eles podem gerar são o aborto espontâneo (entre 0,5 e 2% de risco), sangramentos, infecções e perda de líquido amniótico.

É importante que a futura mãe passe por exames de confirmação – capazes de dizer se realmente existe alguma alteração na formação do bebê – pois isso irá garantir uma gestação mais tranquila e feliz.

subir

Pin It on Pinterest